sexta-feira, 8 de agosto de 2008

24 horas


Rodoviária. Raoni de roupa puída, mas bem composto, aos tons de bege. Abraço o Raoni. Clarissa vira de lado, prenunciando lágrimas. "Você é um irmão excepcional...". Recomendações de novo, e de novo. Tenho dó de beber e comer o lanche que ele me comprou para a viagem. Durante minhas 24 horas de pensamentos lambendo a estrada, deu pra ver, lembrar, questionar, pensar mesmo em tudo, tudo de uma vez, nessa semana. Meus amigos, minhas verdades, gostos e cheiros e temperaturas e irmãos quentinhos debaixo das cobertas. Minha mãe remendada numa cama, amarela ela. Meu pai de pagem. Ita introspectivo - reticências... Cachorros se encolhendo no frio, os cachorros envelhecendo - o tempo e as consequências também passam pra eles. As plantas encobrindo a casa, dificultando a viagem no Google Earth. Biscoitos (2Xcoitos..., credo..., desculpa...). Deixei os termômetros pra trás, meus banhos quentes, chão frio, promoções de supermercado, café invocado na cafeteria, "tudo jóia?" no shopping. Nem todas as conclusões são possíveis. Mas agora penso: Raoni do outro lado do mundo - , e tudo recomeça.
"Te amo". "Também te amo". Isso foi na rodoviária.

2 comentários:

Adriele disse...

lindo...
tive que conter muitas lágrimas nesses últimos dias... dias muito difíceis... acredite!

cara pálida fora d´água disse...

te escrevi um e-mail...