quarta-feira, 6 de outubro de 2010

E esse chão? É o mesmo ou também envelhece?

Não sei. Parece que a terra sempre teve essa mesma cor de terra... ou não, quando a gente brincava de fazer bolinhos de barro e a terra não era só seca, como agora, era também macia, uma mousse, uma gelatina...
Mas tudo bem, porque, quando vejo essas roupas, o colant verde, as ombreiras dentro de um tecido amarelo percebo que o passado também faz parte de mim e sou tudo isso aí. Sou a mesma menina que acha lindo um manequim de vitrine numa loja em Porto Alegre. E sou passado e futuro.

2 comentários:

Sonia Lima Naves disse...

Maira,
Feliz Aniversário, com um dia de atraso. Viva o dia 05/10 que nos presenteou com a sua chegada. POIS COMPARTILHAR DA SUA EXISTÊNCIA É ALGO FANTÁSTICO, inenarrável com meras palavras.
Você é uma pessoa LINDA, que merece ser abençoada com a felicidade plena e é justamente isto que eu desejo!

Um beijo na alma

Tia Sônia

kassiaindia disse...

Maíra, sempre será Selva pra mim. A terra nos inebria com seu cheiro de açaí cortante nos dias de chuva. A chuva vem como em todos os anos. Nossos passeios olhando vitrines em Porto Alegre nos enchia de esperanças como hoje. Nada mudou, ninguem pode tirar de nós a nossa juventude de termos esperanças e dias melhores, nem aos trinta e nem mais de quarenta. Viva sempre assim com lembranças sadias e olhar para o futuro. Ele virá sempre melhor pra nós que somos gente boa.