quarta-feira, 9 de novembro de 2011


E São Paulo me convidou de novo, me acolheu, me cobriu como a névoa da madrugada.
O frio é só uma desculpa pra encostar, se envolver na coberta, no banho e se aquecer.
Eddie Vedder continua lindo, congelado nos seus trinta anos, quando se riscava de caneta no acústico da MTV. Nos avisa, com a voz rouca de sempre, que parece extrair uma dor: we belong together, together… Black… Cinco horizontes e o céu vermelho. Chorei como um presságio…
A música foi motivo de tudo e se fez presente mais uma vez. Museu da casa brasileira, com barroco e velhinhos entravados em cadeiras de roda, mas se fazendo representar, com seus cuidadores, num domingo de manhã. A moça negra magra na flauta doce, a senhora no cravo – que depois, de mãos dadas, passeava pelas paredes com o neto (ou bisneto). Crianças no pomar, crianças viajando, como é de praxe. Jaboticabeiras, jambo, banheiros e mármore. História.
Arte na Paulista. Um colecionador de atos libidinosos, escracho na arte séria. Coleções de bagunça no Itaú Cultural.
Arte, arte, arte. No cinema, na esquina. Louise Bourgeois como fuga. Pela que arde na minha pele e na cabeça sem dormir. Almodovar me reconquista como um amor antigo, com seus traumas, defeitos, surpresas e particularidades. Vou em rumo da redenção. Identidade.
No Salim, a Dona Nágila, enebriada de elogios, em relação à sua comida, em especial, a kafta, que desmereceu qualquer tentativa por aqui, aproveita o entremeio pra passar um batom, antes de nos receber no caixa. Anis pra perfumar por dentro e por fora.
Antes, comida italiana no quintal. Delicadeza como na casa de avó…
Boas companhias. Ita, Raoni, Kássia, Kelly, Rafa, Ju, Pablo, Miguel, Gica, Carol… Sweet as home…

2 comentários:

kassiaindia disse...

Na paulista vejo uma lista de mim mesma, de nós. Somos isso mesmo e não vamos deixar de ser. Arte, respiramos arte, somos arte , conversamos arte, falamos familia, somos um lar. Parecia um evento,mas era apenas o amor... perfeito, simplesmente amor... valeu.

Selva Selva! disse...

Faltou o Nino pra completar...